quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

RIMAS IMPURAS DE UM COTIDIANO!

parecia um tanto deprê
caminhou fumando pela carijós
esperou o buzão impaciente
pagou a passagem com 5 reais
voltou para pegar o troco
ouviu o mp3 de cara virada para a janela
desceu um ponto antes pra fugir da rotina
caminhou despreocupadamente
fumou novamente até a metade
chupou uma bala de hortelã
já estava com a chave na mão
antes de entrar olhou a caixa de correios
pegou somente o que era importante
deixou para trás a conta de luz
entrou em casa e sentou no sofá
a porta aberta não se moveu
mexeu no controle e nada assistiu
deu duas voltas na chave e foi repousar
vestiu uma camisa do tchê
usou o banheiro e se olhou no espelho
botou vodol na frieira
comeu uma pizza velha
escreveu 3 cartas curtas
desligou o celular
escovou os dentes
deitou-se vagarosdamente
ficou escutando o grilo cantar
dormiu, dormiu...

NOITES COM SOL!



Nesta noite Julián não dormiu.

Penélope havia comprado o último bilhete de trem para Paris. Era certa a partida! Foi uma dor imensa e indescritível que avassalou o coração de Julián. A noite tornou-se fria e infinita, ideal para os fantasmas que assombravam os pensamentos do pobre moço.

O rádio da casa vizinha ainda estava tocando algo. E parecia que tocava para Julián que decidiu ouvir com mais atenção!

E ouviu... e chorou...

Chorou sozinho olhando a rua vazia pela janela e desejando o sol da manhã, o calor do dia!





Composição:
Flávio Venturini / Ronaldo Bastos

Ouvi dizer que são milagres
Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol
Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol

Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono
Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar
Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

É AQUI QUE EU QUERO FICAR?

Mais de um milhão de veículos nas ruas de BH!
Estatística que me assustou no dia em que fui levar o carro para lavar. Justamente no dia em BH parou! Gastar uma hora e meia para fazer um percurso em que normalmente faria em 15 minutos.
No meio do engarrafamento não havia nada a fazer além de esperar o trânsito fluir. E fluía vagarosamente a ponto de ser ultrapassado por uma lagarta que andava no canteiro central da Raja.
Procurei uma rádio legal para passar o tempo. Logo depois um comercial com uma música que dizia:

“É aqui que eu amo, é aqui que eu quero ficar! Pois não há, lugar melhor que BH!”

A cidade que me acolheu havia acolhido outras milhões de pessoas e colocadas todas em seu coração ao mesmo tempo naquele dia infernal.
O refrão da música ecoava em minha cabeça e instintivamente eu começava a assobiar num paradoxo revoltante, parado no meio da avenida.
E hoje nem sei mais se eu realmente quero ficar aqui!
Não sei também se ainda amo tanto esta BH!
Enquanto isso, fico aqui, engarrafado, estressado e quase louco, e sempre cantarolando ironicamente a musica...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

PARA BURLAR A CRISE!

Em um cartaz colado no poste do centro da cidade:

"TRAGO A PESSOA AMADA EM 30 DIAS!"
Pai Pedro! Pai de santo.

Após umas marolinhas da crise:
"TRAGO A PESSOA AMADA EM 2 DIAS!*"
* num raio de até 800 km.
Pai Pedro ! Ex- pai de santo e atual taxista.

Algum tempo depois:
"TRAGO A PESSOA AMADA EM 30 MINUTOS*"
* área da grande BH.
Pai Pedro! Ex pai de santo e taxista, atual mototáxi!

5555-6545

domingo, 6 de dezembro de 2009

UMA PEQUENA SURPRESA!

Era um pequeno baú velho, jogado no meio de coisa antigas empoeiradas. Julián não recordava daquele objeto em suas coisas. Curioso, parou de escrever e abriu a pequena caixa vagarosamente. Dentro continha pedaços de papeis com pequenas mensagens escritas sem muito esmero, mas foram escritos por Penélpe. Julián começou a ler cada pedaço de papel e descobriu que eram mensagens para ele. Sua amada havia deixado de propósito, cuidadosamente para que ele descobrisse por acaso. Assim foi...
E Julián leu todos emocionado e nem segurou as lágrimas que vinham junto com cada bilhete:



18/01/09 - 19:57
te gosto muito... e mais a cada minutinho

20/01/09 - 21:05
se nosso gostar é mútuo, porque o castigo de me trancar nessa torre, se não queres que eu tenha tranças tão longas para você subir até mim? que sudades de você!

22/01/09 - 18:43
e eu quero ser sua sempre, nessas belezas todas que sua retina tira do mundo, tâo sua, todo dia, sem tempo pra saudade. Beijo.

29/01/09 - 00:42
Fecho os olhos pra não ver passar o tempo, sinto falta de você. anjo bom, amor perfeito no meu peito... cada segundo é mto tempo sem vc... então vem. beijo.

03/02/09 - 00:34
to com calor do dia, meu coração sentiu frio, ficou pequenininho, eufórico querendo rir e maluco querendo parar toda hora...

03/02/09 - 00:37
coração em dia de autista, sentado quietinho no canto do peito, só ele, sem ninguem, pulsou devagar, não quis fazer nada...quase morri!

08/02/09 - 11:11
obrigada por me fazer tão feliz! as horas que tenho vc comigo têm sido a melhor coisa da minha vida. vc não faz ideia de quão importante vc é ara mim. Adoro-te!

08/02/09 - 19:30
hj vc não saiu da minha cabeça. Tudo com vc é mais gostoso, melhor, mais legal. não deixo de te querer nem 1 segundo.

12/02/09 - 00:43
vc pra mim é dias de um sentir inexplicável, um bem querer sem fim, um aperto no peito, um aconchego do corpo e da alma.

17/02/09 - 19:08
pq vc é assim? com doidices tão perfeitas! me confundiu, me encantou, me fez chorar mt, e sorrir mt. Vc e suas surpresas. Amei td! mais as palavras, o homem dono delas e de mim. obrigada!

26/02/09 - 21:05
I wanna fall from stars straight into your arms... (s. red)
ouvi essa música e fiquei pensando em você... te querendo. bjo e boa noite!

02/03/09 - 23:24
não sei o que dizer p vc que todo dia me faz olhar pelo buraco da caixinha e ver um carneiro novo que vc me desenhou.

02/03/09 - 23:30
te sinto meu e te quero meu e vivo nesse encantamento com suas surpresas e realizações diárias. vc é mt importante p mim. bj

20/03/09 - 00:37
e eu não sei em que hora dizer, me dá um medo, que medo, mas eu preciso dizer q te amo... tantoo.

20/03/09 - 00:50
coração vazio ia chorar, procurarsem encontrar ou se iludir ou se enganar, mas o destino sabido, ele encontrou você comigo.

25/03/09 - 00:21
"os seus olhos tem q ser só dos meus, os seus braços o meu ninho no silêncio de depois..." V. Moraes C. Lyra

10/05/09 - 16:17
tava lembrando do primeiro dia q vc me disse que me amava e eu fiquei gelada, paralisada, com medo de não te amar como vc merecia...
tava lembrando o primeiro dia q eu disse que te amava. Ainda tinha medo e culpa por te desapontar e nao sabia se merecia seu amor.

10/05/09 - 16:20
tava pensando, que amar no próprio tempo é mais honesto e mais seguro mesmo. Agora digo sempre que te amo. Sem medo!

12/05/09 - 23:28
te encontro em cada brecha do meu pensamento, em cada espaço do meu tempo. Em cada eu que penso tem um pedacinho de vc, amor!

15/05/09 - 9:58
pro dia nascer feliz, ah essa é a vida q eu quis
... com vc meu dia já nascefeliz. que amor é esse q vc me faz sentir, hein? to com seu cheirinho.

18/05/09 - 10:09
vc me traz felicidade em descoberta. Faz de mim criança com brinquedo novo. sua presença me faz te querer mais e seu cheiro tá no meu travesseiro. Obrigada pelas alegrias!

01/06/09 - 21:49
reli sua carta, li sua declação de amor enfeitada de conchinhas, olhei nossa felicidade estampada. vc vai me ganhando sempre mais.

09/07/09 - 00:35
e eu que já te amava antes mesmo de saber que te amava assim. vc faz de mim menina mimada com esses paparicos. adoro suas surpresas. eu te gosto tanto, anjinho

23/07/09 - 23:14
seu amor! se eu não te amasse tanto assim, talvez perdesse os sonhos dentro de mim e vivesse na escuridão.

23/07/09 - 00:19
amor! não sei o que vai ser dos meus dias sem vc. não pense que é fácil e meu coração não dói a cada passo. me perdoa?

23/07/09 - 12:54
Lembro, mas é q no primeiro dia a gente não sentia o q sentimos hj. ontem caí num infinito de tristeza.

02/08/09 - 23:53
minha vida sem meu amor é um saco! meu dia é chato. se vc vai p longe, minha felicidade vai junto e o tempo para. amo vc!

23/08/09 - 23:20
tem dias que parece q vou explodir de tanto amor! quero entrar na sua pele, ser vc, te quero inteiro te amo infinito. beijos.

01/12/09 - 01:24
e no meio de tanta gente eu encontrei você, entre tanta gente chata sem nenhuma graça, vc veio... ( M Monte)

03/12/09 - 18:23
ai que vontade de e dar um beijo bem grande!

04/12/09 - 01:11
mor! te amo sempre!

04/12/09 - 02/;49
sua casa é meu colo. Seus dias, meus olhos te procurando em cada cena e em cada olhar par mim mesma. vem pra mim, amor?

OUTRA SAUDADE!

Minha Penélope,
Hoje senti muita saudade. A maior saudade sentida!
Meu peito doeu...

Enquanto a lua caminhava pelo céu com o seu véu prateado desejei tanto você comigo. O tempo já vem engolindo vorazmente nossos dias. E eu não vou aprender a viver sem ti. E mesmo sem saber se eu poderia pedir... pedi a Deus para viver mais dez vidas com você.
Meus olhos precisam te ver, minha boca quer seus beijos...
Por favor, deixe-me sofrer e não sinta-se culpada por isso! Hoje eu odeio Paris porque te amo!
Tentei escrever algo mais e não consegui.

Só fui pegando trechos de músicas que iam tocando no rádio AM ali no chão do quarto do velho hotel:

Eu não resisti a tanto amor
o meu coração se entregou
e venha o que vier eu vou estar
pra sempre com você!

Nunca esqueça que estou aqui
sempre a te esperar, pra te amar
me enlouqueça com seus carinhos
pra gente sonhar e amar.
Mesmo quando for embora, a saudade vai fazer você voltar
sei que o sei peito chora
querendo me amar
mas eu sei que nessa hora
as estrelas vão brilhar enfim
pois deixei o meu nome escrito no céu pra você lembrar de mim!


Com amor,

Julián Carax

CURTAS DE ESTRADA!

-Oh senhora, ainda serve almoço?
-Serve sim!
-Você tem nota fiscal?
-Tenho!
Logo após o almoço:
-Faça uma nota pra mim.
-O bloco está na contabilidade!

************************************************************

- Olha, eu só tenho quarto sem frigobar!
- Tudo bem! pode reservar.
Chegando no quarto, todos os frigobares estavam desligados, pois o combinado foi sem frigobar. A pessoa tem preguiça de abastecer a geladeirinha!

************************************************************

ESTE ESTABELECIMENTO ESTÁ OBRIGADO A EMITIR NOTA FISCAL!

Estava escrito e colado na parede do restaurante.
Almocei tranquilo e logo em seguida pedi a nota.
- Não tem nota. Tá na contabilidade!
Enfiei o dedo na goela, vomitei tudo no chão e agradeci.
Ele me chamou de louco e disse que aquilo era um absurdo.
Absurdo é ele não cumprir com a lei. E ainda levou de brinde o meu café da manhã!

************************************************************

NO POSTO DE GASOLINA!
-Eu pedi pra colocar álcool e o seu funcionário colocou gasolina em meu carro!
-Mas o seu carro não é flex?

************************************************************

-Vai ao cinema hoje, senhora? Lá na praça!
- Não, meu filho. Eu sou uma serva de Deus!

Deduzindo, então, queimarei no fogo do inferno...

************************************************************

NA CHURRASCARIA!
- O assado você dá pra ele e o "cru" você dá pra mim!
- Vaaaaaaapooo!

************************************************************

sábado, 5 de dezembro de 2009

POR ONDE ANDEI!

Após meus 3 semestres de Direito, dois de Ciências Biológicas, um e meio de Medicina, dois de Serviço Social, um de engenharia, oito de Comunicação e outros tantos de Brasil, COM UMA UMA MILHAGEM DE MAIS DE CEM MIL KM descobri que também nasci há quase dez mil anos atrás! Agora segue o meu roteiro em quase cinco anos de cinema e no mínimo duas vezes em cada cidade:

PIRAPORA, BURITIZEIRO, IBIAÍ, BARA DO GUAICUÍ, PONTO CHIQUE, CACHOEIRA DO MANTEIGA, SÃO ROMÃO, SÃO FRANCISCO, PEDRAS DE MARIA DA CRUZ, JANUÁRIA, ITACARAMBI, MATIAS CARDOSO, MANGA, MALHADA, CARINHANHA, ANGICO, BARRA DA PARATECA, BOM JESUS DA LAPA, PARATINGA, MORPARÁ, IBOTIRAMA, GAMELEIRA DA LAPA, SÍTIO DO MATO, BARRA, IBIRABA, XIQUE-XIQUE, BELÉM DE SÃO FRANCISCO, ABARÉ, JATOBÁ, PIRANHAS, CURRALINHO, ILHA DO FERRO, PÃO DE AÇÚCAR, PENEDO, NEÓPOLIS, PIAÇABUÇU, PEDRINHAS, BACABEIRA, PERIZ DE CIMA, PERIZ DE BAIXO, GAMELEIRA, SÃO JOSÉ DOS MATOS, ITAPECURU MIRIM, PIMENTAL, COQUE, OLHO DÁGUA DOS CARNEIROS, TUFILANDIA, ALTO ALEGRE DO PINDARÉ, BOA VISTA, ROÇA GRANDE, PRESA DE PORCO, BOM JESUS DAS SELVAS, NOVO ORIENTE, PIQUIÁ, VILA ILDEMAR, TECHO SECO, CIDELÂNDIA, VILA NOVA DOS MARTÍRIOS, COCAL, SÃO PEDRO DA ÁGUA BRANCA, COCAL, BOM JESUS DO TOCANTINS, BRUMADO, CAMAÇARI, SÃO FÉLIX, CACHOEIRA, ITATIM, IAÇU, PARAFUSO, SIMÕES FILHO, SANTO AMARO, ANTÔNIO DIAS, PERIQUITO, CONSELHEIRO PENA, ITUETA, RESPLENDOR, TUMIRITINGA, AIMORÉS, BAIXO GUANDU, ITAPINA, COLATINA, JOÃO NEIVA, FUNDÃO, GOIANDIRA, PIRES DO RIO, LEOPOLDO DE BULHOES, IPAMERI, IBIÁ, BAMBUÍ, SANTO ANTÔNIO DO MONTE, CATALÃO, CHAPADA, MARIANA, RIO PIRACICABA, JOAO MONLEVADE, LAGOA DO PAU, CORONEL FABRICIANO, ARANHAS, PIEDADE DO PARAOPEBA, OURO PRETO, OURO BRANCO. PASSAGEM DE MARIANA, TAUBATÉ, SÃO PAULO, PORTO ALEGRE, CAROLINA, FILADÉLFIA, ARAGUAÍNA, DARCINÓPOLIS, BABAÇULÂNDIA, POÇOS DE CALDAS, ANDRADAS, PASSOS, FRONTEIRA, FRUTAL, PLANURA, FORMIGA, IBIRACI, ALPINÓPOLIS, ALVINÓPOLIS, SÃO ROQUE DE MINAS, VARGEM BONITA, IGUATAMA, FELIXLÂNDIA, SÃO JOSÉ DO BURITI, TRÊS MARIAS, SÃO GONÇALO DO ABAETÉ, UNAÍ, BOTUMIRIM, JOSENÓPOLIS, CORONEL MURTA, TURMALINA, BERILO, VIRGEM DA LAPA, IJICATU, MALHADA, LELIVÉLDIA, JOSÉ GONÇALVES DE MINAS, BANDEIRANTES, FONSECA, SÃO JOSÉ DO CALÇADO, BOM JESUS DO ITABAPOANA, GUAÇUÍ, SANTANA DO JACARÉ, CASCALHO RICO, ESTRELA DO SUL, JURUAIA, GUARANÉSIA, RUBIM, MARABÁ, BELO HORIZONTE, CONTAGEM, BETIM, BRASÍLIA, LENÇÓIS, SALVADOR, RECIFE, OLINDA, PORTO DE GALINHAS, FORTALEZA, JIJOCA, JERICOACOARA, NATAL, CUMBUCO, ITACARÉ, ARRAIAL D'AJUDA, PORTO SEGURO, SÃO PAULO, RIO DE JANEIRO, CURITIBA ...

Esqueci de citar algumas, mas vou completando gradativamente!

O QUE VC FAZ MESMO?

Finalmente após 20 localidades ao longo do Velho Chico, numa viagem mágica, minha alma havia ficado em algum lugar. Não pude aguardá-la chegar e já estava novamente na estrada para levar mais sonhos aos carentes!
Ali na praça, ao ar livre (ricos, pobres, crianças jovens, adultos, idosos, pretos brancos) todos são iguais e todos são carentes. Carentes de um minuto de sonho.
E quando a máquina mágica de sonhos é ligada, tudo se transforma.
Do Rio São Francisco para o Jequitinhonha a transição é rápida.
As pessoas que passam por minha vida o fazem porque têm algum significado. Assim como a velha que me abençoou em plena balsa; o motorista do ônibus com seus dez lavradores que me salvaram de um atoleiro; a senhora artesã que se apoiou em meu ombro no momento da cantiga; o senhor caminhando na estrada que me ensinou o caminho; todos surtiram um efeito,mesmo que pequeno. Não procuro motivos para tais acontecimentos. Prefiro procurar a magia em todos eles.
Entre poesias, poeira e lama, asfalto e nuvens vou conhecendo o Brasil e colecionando casos para contar na velhice. Já vi pessoas simples, sofisticadas, puras, mesquinhas, em sua grandeza e pequeneza de ser ou não humana.
E neste estágio de estar em todos os lugares e não estar em lugar nenhum, vou traçando os caminhos que me aparecem e vendo frente a frente o que é ser um brasileiro. Já nem contabilizo mais o que é real e o que é fantasiado, afinal, do que isso importa?
Ah! Além de experiência, o que eu levo com isso?
Isso é o meu trabalho!

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

OUVI DE UM SANFONEIRO!

Em uma das minhas viagens encontrei com um sanfoneiro desanimado e sem vontade de tocar.
Havia perdido sua esposa há dois anos, após 50 anos juntos. Tocava para matar um poucoda saudade e não conseguia segurar o pranto.
Parou de tocar por muito tempo.
Um belo dia resolveu tocar novamente e percebeu que as dobras da sanfona estavam úmidas. Percebeu que era umidade causada por suas lágrimas que caíam sempre que tocava.

História de sanfoneiro!
.
.
.

sábado, 28 de novembro de 2009

E SE...

Julián já preparava-se para sair, pois o dia prometia muito trabalho de pesquisa para o novo livro. iria visitar a biblioteca depois de passar pelo cais e observar os barcos movimentando-se vagarosamente com o vento. Queria uma inspiração, mas a saudade da bela Penélope incomodava significativamente.
Ouviu alguém chamar à porta. Atendeu sem muita convicção de ser algo importante. Era um mensageiro que trazia uma missiva. Envolta num papel pardo e fechada com uma fita vermelha de bolas pretas.

A letra era de Penélope! Era uma mensagem linda de amor! Mais uma das milhares que recebera:

Amor,

E se eu te mandar uma foto?
a saudade acaba.
E se eu te mandar um bilhete?
a saudade aguça
E se eu te mandar um poema?
a saudade afaga.
E se eu te mandar uma carícia?
a saudade aflora.
E se eu te mandar um prazo?
a saudade adia.
E se eu te mandar um pedido?
a saudade apressa.
E se eu te mandar um carinho?
a saudade amaina.
E se eu te mandar um abraço?
a saudade aumenta.
E se eu te mandar um sorriso?
a saudade alastra.
E se eu te mandar nada?
a saudade afronta.
E não há nada que eu faça, que a saudade apaga!

Eu sinto saudades demais!

Penélope Aldaya

.
.
.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

LONGA NOITE!

A noite já havia avançado sua metade sob a sinfonia dos pequenos grilos acompanhada por um vento leve e afinado. Julián não conseguia dormir mas sentia-se confortável no silêncio do quarto, ouvindo a respiração de Penélope que repousava o braço sobre o seu peito.
Ficou meio sonolento. Em algum momento pensou ter ouvido um soluço. Teve a confirmação quando percebeu que Penélope chorava baixinho tentando esconder o pranto.
Julián virou-se assustado e perguntou o que havia acontecido.

- É o meu egoísmo que dói! Perdoe-me amor! Tenho medo que você não me ame mais!

Julian sentiu o coração congelar ao perceber que a traidora Paris engolia os dias em busca da sua Penélope!
Tentou falar algo enquanto acariciava o rosto da amada, no entanto, as palavras ficaram presas na garganta transformando-se em lágrimas.

- Tenho medo que você não volte mais!
Confessou Julián depois de muito esforço.

-Eu volto, amor! Eu volto!

- Esta Paris é sedutora, amor... é perigosa, cega-nos!

- Eu volto, amor! Eu juro que volto!

-Não prometa o que não pode cumprir! Não somos donos da nossa vida... Eu sou dono do meu amor por você, mas não posso ser seu dono. Deixar-te partir é a maneira mais fácil de ter você, porém a mais dolorosa. Mesmo sabendo que posso te perder, somente posso ficar esperando você voltar pra mim!


Aquela noite passou vagarosa, maior do que todas as outras. O medo invadiu o quarto em forma de um vento frio. Julián abraçou Penélope e sussurou "eu te amo" umas mil vezes, até adormecerem!




domingo, 8 de novembro de 2009

CORRE, GENTE!

Em uma cidadezinha às margens do Velho Chico o nosso fotógrafo encontrou alguns garotos jogando futebol num campo de terra e muita poeira. Chamou a atenção por portar um equipamento incomum para as pessoas de lá.

Resolveu bater uma foto dos jogadores, assim como fazem os atletas de todos os times. Seria a clássica foto com as legendas “de pé, da esquerda para a direita”. Mas ele decidiu aparecer na foto também.

Os meninos posicionaram-se, ele preparou a câmera no tripé, ligou o timer e correu na direção dos pequenos jogadores para fazer parte da foto.

Sua maior surpresa foi quando todos os garotos também saíram correndo assustados em direções opostas. O fotógrafo nada entendeu, parou de correr e perguntou para um dos meninos a meia distância:

- Por que vocês saíram correndo

- Ah moço! Se você conhece esse bicho e mesmo assim correu dele, imagina nós que nunca vimos uma coisa dessas. Eu é que não vou ficar aqui.

*

*

*

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

QUEBROU TROCOU?

Após um bom tempo longe do PC, aqui estou de volta à metróple, respirando poluição. Confesso que já sentia uma saudade do quase caos que cai sobre a cidade no fim do dia!
A semana que sucede o fim de um projeto é tão conturbada à que que antecede. Tenho que fazer o inverso, disproduzir!

E foi nesta loucura de nervos que mais uma cena hilária aconteceu comigo.
Voltei ao Ponto Frio para devolver o meu ferro elétrico estragado, pois queria confirmar a garantia "QUEBROU TROCOU" . Só mais uma enrolação para enganar idiotas!
A garantia só é válida um ano após a compra, quando a garantia do fabricante se esgota.
O atendente ainda queria me informar o telefone da assistência técnica!
Meu estado de irritação foi tão grande que simplesmente disse: Não precisa!
Saí de perto do balcão, deixei o ferro em cima de uma TV e saí da loja!

Este foi o segundo ferro que estraga com menos de uma semana de uso!

E foi mais uma mentira que eu acreditei!
Por Favor! Ao comprarem no Ponto Frio, boicotem a garantia QUEBROU TROCOU!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

DEZ VEZES AMOR!


Minha Penélope,

Hoje vi seus olhos refletindo os meus. Você era dona das minhas pupilas úmidas. Você é a dona do meu respirar!
Hoje também pensei no abismo que se aproxima, o qual terei que olhar de perto, muito perto!
E não terei escolha a não ser atirar-me nesta queda infinita a espera do seu socorro.
Enquanto isso tomo coragem com o seu imenso amor, este companheiro inseparável.
E mesmo longe posso sentir o calor de um amor que se torna perfeito a cada dia. De um amor que me faz muito feliz!
O que faço com meu pranto companheiro em noites solitárias?
O que faço com meus braços suplicando seus abraços?
Quando a velha Paris te chamar estarei ao seu lado e ficarei no mesmo lugar, olhando o horizonte, aguardando o seu retorno.
Em minhas mãos terei o velho livro de contos de fadas. O nosso livro! E dali em diante iremos escrever a nossa história.
Meu anjo!
E você ficou tanto tempo me olhando, protegendo-me!
Se eu te amar por dez vidas, mesmo assim não será o bastante para retribuir o seu amor. Por isso, nesta vida eu te amo dez vezes mais!

Com amor,

Julián

.
.
.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

MALHADA


Não obedeci ao senhor do restaurante, nem consegui uma caminhonete 4X4!
Seguimos assim mesmo com o bom e velho Gol companheiro em todo trecho, deste a nascente, na Serra da Canastra.
Compramos uma tinta spray amarela para marcar o caminho que faríamos.
Ah! O asfalto!
- Ih... um incêndio! Que fumaça é essa meu Deus?
- É muita fumaça Range...
- Vou acelerar!
- Num vai não, Range! Cuidado, moço!

Acelerei... Não via nada em minha frente, tudo branco, muito calor... silêncio...
O fogo estalava forte e as labaredas lambiam a beira da estrada.
Vencemos! Passamos!
A estrada multiplicava-se sob as rodas do carro e o cenário mudava radicalmente em nossa lateral.
Mato seco do sertão, casas pobres, fazendas enormes no meio do nada, placas de “vende-se gasolina”!
- Vende-se o quê?
Perguntou João Paulo!
- Gasolina!
- E como alguém traz gasolina para um lugar desses aqui?
- Também não sei!

Logo depois disso, uma estrada que não iria chegar a lugar nenhum! Um atoleiro pronto para engolir qualquer caminhonete. Certamente engoliu o nosso carro.
Mas era um atoleiro de terra, poeira e areia, secas!
Em instantes já estávamos presos após inúmeros solavancos.
Desci do carro ensaiando o “Salve Rainha”. Ops! Oração errada! Seria o “Salmo 91”, o qual fala sobre “aquele que habita sobre a sombra...”?????? Sombra? Que sombra? Em lugares assim ela só serve para dar indicação de calor: “tantos graus à sombra!”
Satriani debulhava sua guitarra no som do carro e ironicamente tocava “If I coul fly”
O calor havia realmente fritado minha noção de raciocínio!
E a fé?
Esta me fez simplesmente sorrir e voltar para buscar o pára choque perdido há cem metros. Olhei fixamente a placa do carro e desejei muito estar realmente em Belo Horizonte.
João Paulo me olhava sério e sorriu ao me ver dando gargalhadas. De certo pensou que eu já estava maluco devido as fortes pancadas de sol que tomara na muleira.
Tínhamos duas opções: Morrer retirando a areia da frente do carro ou morrer esperando uma ajuda quase impossível! Optamos pela primeira.
Eu já começava a ter alucinações auditivas e ouvi um carro se aproximando!
- É uma moto!
Disse João não se animando muito.
Tive a certeza de uma alucinação quando vi um ônibus se aproximar! Era impossível acreditar numa sorte daquelas. Estávamos gastando todas as fichas de uma só vez!
O ônibus parou logo atrás do meu carro. O motorista disse alto:
- Desce lá e ajuda!
Desceram 10 lavradores e começaram a empurrar o carro antes mesmo que eu entrasse para dar a partida. Fomos salvos!
Fomos resgatados do abismo de pó!
Logo após retirar o carro o motorista me advertiu:
- Não segue em frente! Ali tem mais atoleiro e você não vai conseguir passar. Você está indo pra Manga? A estrada é por lá, você tem que voltar!
Apontou o motorista com o dedo indicador para o lado contrário.
- Não! Estou indo para Malhada.
- Malhada? Não é aqui não. É lá onde tem uma placa verde escrito “Bahia”. Mas ta cheio de atoleiros iguais a estes. É melhor não ir por lá!

Ordenou que os lavradores entrassem no ônibus e seguiram viagem.
Eu ganhei de presente o direito de atravessar novamente o atoleiro, do lado inverso! O pior é que minhas fichas já tinham sido gastas, lembram???
Dei ré por uns 300 metros. Acelerei com toda minha força...
Passamos!
- E o pára choque? Disse João Paulo
- O dianteiro?
- Não! O Traseiro.
- Puuuutzzzs!!!! Ficou lá! Pêraê. Eu volto lá!
- De carro?
- Sim! já aprendemos como passa nisso mesmo!

João Paulo me olhou com uma cara de “ele ficou louco mesmo!” E novamente apertou o cinto.
- É brincadeira, João! Volto lá a pé.
Ele sorriu aliviado.
Com o nosso novo passageiro no banco traseiro seguimos viagem em direção à placa escrito “Bahia”. Bendita placa!
- Maldita gasolina! Tá na reserva! Vamos voltar até onde vimos a placa.
- Da Bahia?
- Não! Da gasolina!
- E a Bahia?
- Esquece a Bahia, João!
- Pelo menos por hoje.
Inevitavelmente tensos seguíamos de volta pelo caminho que parecia maior e desconhecido, até chegarmos à casa do combustível! Passei pela placa e fiz a pergunta imbecil:
- Vocês vendem gasolina?
Uma simpática senhora respondeu positivamente com a cabeça, quando certamente queria responder:
- Não! Aqui vendemos xixi de vaca! A placa de “Vende-se Gasolina” é para atrair idiotas!
Ela sorriu e perguntou a quantidade que eu queria e completou:
- R$ 3,50 o litro!
Cantei logo que queria 10 litros. Afinal, tanto eu quanto o carro estávamos sedentos. Enquanto eu abastecia o tanque, João Paulo me trouxe uma garrafa de água gelada enquanto meu olho brilhava nas gotículas de cristal de formando do lado de fora do frasco.
- Eu pagaria 10 reais por esta garrafa de 500 ml!
- Então fala isso com a mulher da gasolina! Ela nos deu de graça!
Disse João Paulo devolvendo a piadinha.
Na verdade fiquei somente com 6 litros de combustível, depois de fazer algumas contas.
Tudo pronto para o retorno. Após mais meia hora de jornada inversa, vimos nossas marcações inúteis na estada até chegarmos de volta em Matias Cardoso e percebermos que tínhamos muito mais fichas que imaginávamos, pois ELE esteve sempre conosco, no banco traseiro com as mãos em nossos ombros, guiando-nos o tempo inteiro. Desceu sorrateiro do nosso carro e foi buscar um ônibus com doze lavradores!
Depois que dei as costas para o ônibus não o vi mais seguir...
E na volta, quando passei pelo mesmo lugar sem dificuldades, ELE havia me ensinado o caminho!

Saldo do dia:
1 pneu furado
1 pára choque solto
Todas as roupas sujas
Mais uma prova de fé!
Amém!

Músicas do dia:
If I could fly - Joe Satriani
Te agradeço - Cleber Lucas
.
.
.

MANGA


- Manga é fruta ou cidade? É Minas ou Bahia?
E foi ouvindo este questionamento que tomei café em Januária.
Não muito distante da nossa chegada um pneu furado atrasa nossa viagem. Pequena pausa para a troca e o estepe jogado de qualquer jeito no bagageiro ilustrava nossa pressa e o sofrimento com o calor.
Finalmente Manga!
E uma borracharia?
- Logo ali, no fim da rua! Indicou o gerente do hotel.
Fui lá conferir.
- Dá uma olhada no pneu aqui oh!
- Oxe! Ta rasgado! Não tem jeito hoje. A gente não ta vulcanizando.
- Então vou comprar outro pneu novo. Quanto eh?
- 147 Reais!
- Com desconto?
- Com desconto de 10% sai a 140 Reais!

Eu, péssimo em matemática, ele com doutorado em esperteza. Fiz as contas de cabeça, fui saindo de fininho, voltei e decidi comprar de qualquer jeito.
- Vou querer um 185/ 60 – 14!
Olhei no pneu do carro. E Colei com autoridade de quem conhece de pneus.
-Ih! Não tem aqui não. Tem no caminhão, mas o motorista não entregou ainda.
-E onde ele está?
- Deve ta almoçando, pois o caminhão ta estacionado ali oh!
- Então volto aqui depois do almoço. Já deixo a roda do carro pra vocês irem adiantando as coisas.

Aquela conversa tinha realmente aguçado a minha fome.
No restaurante decidi coletar umas informações sobre o meu roteiro:
- Qual a melhor maneira para eu chegar em Carinhanha, na Bahia?
- Pelo rio!

Respondeu um senhor com toda autoridade.
- Não! Eu to de carro!
- Larga o carro aqui e desce pelo rio! Não tem estrada descente para um carro que não seja caminhonete 4X4.

Pouco tempo depois tive que concordar com o ele!
De volta à borracharia ainda fechada para almoço, a roda do carro tal qual havia deixado lá. O cara do caminhão não aparecera para a entrega ainda.
Mascate incompetente! Será que ele não percebe que tem gente dependendo dele para viajar e se lascar numa estrada com três palmos de terra, perder o pára choque traseiro e ficar atolado até a cintura?
Mais uma hora de espera até chegar o bendito caminhão com milhões de pneus... exceto o meu! O dono da loja, lá de dentro do baú do caminhão logo retrucou:
- Leva um 185/65- 14! A diferença é mínima.
- No preço?
- Não, no tamanho!


PAUSA PARA UM MOMENTO DE IMENSA IRA!

Quando eu respondi para o moço:
- Meu amigo, eu preciso do pneu com o tamanho correto. Não vou colocar um pneu errado só porque não tem o que eu quero.

Na verdade eu queria ter dito:
- FDP de uma figa! Se depois de uma hora de espera você pedisse pra alguém enfiar um cabo de vassoura de 60 cm em seu rabo e este alguém enfiasse 65 cm justificando que “a diferença é mínima”, o que você iria dizer?

Voltando à vida real comprei o pneu certo em outra loja com 5% de desconto, pelo mesmo preço da primeira loja.
A balsa me aguardava para a próxima aventura. Mas eu perdi mais umas 3 viagens observando os rapazes da borracharia trocarem o pneu com toda calma que exige um calor infernal.
Um deles começou uma discussão com o lavador de carros:
- Eh fulano! Quem é que tava lá no forró requebrando mais que Micael Jackson? Todo mundo viu!
E todos caíram em gargalhadas antes de receber a resposta:
- Eu queria mesmo ser Micael Jackson! Pra todo dia tomar banho de leite e acender um baseado em nota de cem dólares!
Mais gargalhadas!
Eu já começava a achar que o calor realmente afeta nossa capacidade de raciocínio, não acreditava no que escutara durante toda aquela tarde. A exaustão já me rondava companheira da minha sombra.
Enfim, tudo certo para a viagem e finalmente a balsa me deixou do outro lado do rio.
.
.
.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

TROCADILHO DO DIA!


Estou na pré produçõa do projeto Cinema no Rio São Francisco. Hoje passei pela simpática São Roque de Minas na nascente do Velho Chico e deparei-me com as antenas de transmissão de sinais de celular instaladas numa área do cemitério da cidade!
Foi inevitável soltar minha piadinha idiota:
Adivinha qual a única operadora que não coloca sua antena ali no cemitério?
Foi péssima! Ninguém no carro soube responder: .
.
"É A VIVO"!
.
.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

PORTA RETRATOS!


Enquanto fazia uma lista das crônicas que pretendia escrever, parava por alguns instantes para olhar as atualizações dos meus amigos no Orkut. Deparei-me com uma foto interessante na página de Delano. Ali estávamos reunidos num aniversário. Sorridentes e felizes como qualquer jovem! Não tive a sensação de que “parece que foi ontem”. Tive saudade! Suponho que a mesma saudade que os idosos sentem pela juventude, salvas as devidas proporções.
Fui repassando por cada rosto sorridente e não notei diferença entre aqueles adolescentes e os adultos de hoje. Tentei inutilmente relembrar o exato momento em que a foto foi tirada, mas lembro-me perfeitamente do dia em que ganhei aquela camisa com desenhos em quadrinhos na estampa; da roupa de Danielle; do cabelo inconfundível de Cibele e dos óculos de Hermann.
Ah! O tempo!
Não o chamo de cruel, porém o considero rigoroso, permitindo-nos somente olhar para trás enquanto marchamos ritmados pela vida. Dá-nos o doce gosto da lembrança coberto com o amargo da saudade.
Há pouco tempo quando estive em Rubim fui visitar Tia Ieda, mãe de Hermann. Foi difícil não me emocionar ao ouvi-la dizer que há alguns dias havia encontrado um brinquedo nosso enterrado no quintal, após quase 20 anos. Entendi o que Indyana Jones sentia em cada descoberta!
Sou capaz de relembrar todas as brincadeiras no quintal de terra; das aventuras de monstros e naves espaciais; de ferroramas e playmobil; de bancos e programas de TV.
E hoje a maturidade nos cobra um alto preço. Tira-nos o a possibilidade de encontrar os amigos, os velhos amigos!
Há mais de 10 minutos diante daquela foto, tive a segurança de que dali viria uma geração não muito diferente da nossa: Saudável e sonhadora, como toda criança deve ser para se tornar um adulto sensato.
Desejei ainda que certamente Delano transmitisse à Marina toda intelectualidade e firmeza; que Cynthia doasse à Sophia toda delicadeza e franqueza e a deixasse um dia, amarrar seu cabelo ao da amiga e passear sorridente pela rua; quero muito que Cibele deixe Giovana saber a importância de ser autêntica. De Marcela espero que a pequena Anauá possa ser tão apaixonado pela vida e por cavalos; e Danielle, por favor, permita que Luiza e Marina escrevam cartas para concursos de sucos ou margarinas e sonhem em ganhar o prêmio.
A todos os velhos amigos meu grande abraço! E saibam que eu nunca deixei de sonhar!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

FOREVER



Há algum tempo não cito músicas aqui no blog, devido à outras intervenções e principalmente para não impor uma regra mantendo o TUDO AO MESMO TEMPO à risca!
Parei para prestar realmente atenção em uma letra de uma música e percebi que inúmeras coisas aparentemente insignificantes podem ter uma grande importância.
O amor entre Julián e Penélope resume muito do que tento dizer agora. As entrelinhas trazem uma cumplicidade entre dois amantes apaixonados.
mas o que eu quero ressaltar aqui são trechos interessantes vividos por dois amantes:

It's you and me
Moving at the speed of light into eternity, yeah
Tonight is the night
To join me in the middle of ecstasy
Feel the melody and the rhythm of the music around you
Around you


I'm take you there... I'm take you there
So don't be scared when I'm right here, baby
We can go anywhere... go anywhere
But first it's your chance to take my hand, come with me


Feel like we're on another level, girl
Feels like our love's intertwined
We can be two rebels
Breakin' the rules me and you, you and I
All you gotta do is watch me [watch me]
Look what I can do with my feet [my feet]
Baby feel the beat inside
I'm drivin' you can take the front seat [ front seat]
Just need you to trust me [trust me]
Girl... girl... girl
It's like I...


It's like I waited my whole life for this one night [one night]
It's gon be me, you, and the dance floor
'Cause we only got one night
Double your pleasure, double your fun
And dance forever ever-ever
Forever ever-ever
Forever ever-ever
(Forever)
Forever ever-ever
Forever ever-ever
Forever ever-ever
Forever on the dance floor


MUSICA
FOREVER - Chris Brown
.
.
.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

A RESPOSTA

Julián transitava pela rua úmida antes mesmo das últimas gotas pararem de cair. Um cão latiu ao longe estranhando a sombra de uma arvora que tremulava numa dança ritmada por um vento sorrateiro.
Enquanto caminhava meio embriagado pelo vinho que tomara na taberna próxima ao porto, as chaves brindavam ao balanço do caminhar, dentro do bolso do casaco.
Após abrir a porta Julián notou um envelope no meio do corredor. Obviamente lançado até ali pela força impulsionada pelo carteiro pela fresta da porta, na tentativa de garantir a entrega da missiva.
Reconheceu de imediato a letra da amada, antes de apanhar o envelope, sorrir de canto de boca e apertá-lo contra o peito como se fosse a própria Penélope. Abriu cuidadosamente o embrulho e tomou posse das palavras ali escritas. Sua feição foi transformando-se ao longo da leitura, pois percebia que ali estavam as mais temidas palavras. Teve vontade de parar para gritar, jogar a carta no fogo. Teve ódio do mundo, teve raiva de si mesmo. Sentiu-se culpado por não dar a Penélope o apoio merecido. Por fim, sentiu uma ternura imensa ao recordar de todo o tempo juntos!
Enquanto chorava sorrindo, entendia o sofrimento da amada diante do inevitável, das escolhas e conseqüências.
Abriu a janela do seu quarto, deixou a brisa invadir e acariciar o seu rosto. Dobrou a carta, colocou de volta no envelope, depositou-o sob um jarro de cristal que acolhia duas flores murchas.
Queria dizer a Penélope tudo o que sentia. E escreveu-lhe:

Meu amor,
O que é o perdão quando não há erro?
O que é o amor se não há um pouco de egoísmo?
O que posso eu fazer diante de tamanha impotência, a não ser atender seu pedido?
No entanto, não irei perdoá-la por nada, pois não há o que perdoar!
Simplesmente substituo este perdão por um agradecimento.

Te agradeço por me amar
Te agradeço por me entender
Te agradeço por cuidar de mim
Te agradeço por me acolher

Te agradeço pela felicidade infinita
Pela vida que encheu meu coração
Pelo brilho em meu sorriso

Ah meu anjo!
As pontas das asas que você viu eram o reflexo das suas em minha aura de felicidade!
Trouxeste-me do céu para dar-me o paraíso e mostrar-me o que é amar com a mais intensa pureza.Viste em mim o anjo que há em você!

Vai, meu amor!
Assim como você veio. Tão sutil e lindamente encantadora!
E eu fico daqui te olhando bater asas de encontro ao seu sonho.
Enquanto o meu sonho se acaba aos poucos eu consigo ainda sorrir para lembrar que a cada sorriso meu, existe um sorriso seu...
E a cada vez que fechar meus olhos, é para lembrar dos seus me olhando.
O que tiver que ser, será!
O mundo te espera!
E eu te amo!

Para sempre,
Julián

.
.
.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

DUAS CARTAS

A lua surgia preguiçosa arrastando-se pelos prédios e deixando o seu rastro luminoso nas poças abandonadas pela chuva da tarde sombria de Bharcelona. A luz do quarto de Penélope fugia pela janela com um amarelo ouro que tingia as quinas do telhado gotejadas de sereno.
Penélope havia recebido uma carta e há quatro dias temia sua leitura. Era o que mais aguardara, no entanto, era também o que mais entristecia.
Novamente olhou para o envelope. Fixou o olhar no selo que trazia sob o carimbo de Paris uma gravura em comemoração ao dia da criança. O desenho era de uma menina com sua bicicleta passeando no campo, seguida por seu cachorro e dois simpáticos passarinhos. Todos sorriam no desenho! Penélope também sorriu e lembrou-se de quando era criança e sonhava com castelos e princesas. Lembrou-se também do dia em que ganhou sua primeira bicicleta. Foi o dia mais feliz da sua vida de criança. Sentiu-se como a menina do selo!
Outros sonhos vieram. Uns se realizaram, outros foram esquecidos, outros ainda substituídos, mas o sonho de mudar-se para a encantadora Paris permaneceu sempre forte.
O envelope trazia o início da realização deste sonho, contudo, a distanciaria de Julián!
Num súbito de ansiedade e fúria Penélope agarrou o envelope e abriu-o. Enquanto avançava pelas linhas desistiu de conter as lágrimas, sentiu-se culpada por abandonar Julián no melhor momento das suas vidas. Imediatamente começou a escrever ao amado em letras trêmulas desviadas de gotículas de lágrimas:

Amor,

Não sei o que vai ser dos meus dias sem você. Não pense que é fácil e que meu coração não dói a cada passo adiante e a cada dia que o tempo engole. Não pense nunca que desrespeito a Deus pondo de lado um dos presentes mais perfeitos que ele poderia ter me dado. Não é uma troca de sonhos. É a confiança no destino, no velho ditado que diz
"o que tiver que ser, será!"
Sei que agora penso, quanto maior seu riso, menor ficará o meu longe dele. Às vezes me sinto culpada, me sinto má e leviana por pensar que posso fazer sofrer quem eu mais amo; conscientemente e planejar e te envolver, me sinto má por pensar que isso é normal e que tem que ser assim. Peço que comece a me perdoar agora, aos poucos... Perdoa-me, amor! Se você puder, me perdoa??!


Tenho você na minha mente, na minha pele, nos meus trejeitos...
Tenho você na minha fala, nas minhas veias, na minha vida...
Eu tenho você!

Tenho medo do amanhã e me agarro nos quase hipnóticos versos de um poeta maior, que sempre exerceram sobre mim um inexplicável e encantador fascínio e que rodopiam sem parar em minha cabeça:"que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure".

Ah meu anjo! Tentou esconder suas asas de mim e eu desconfiei e vi de relance e enxerguei uma pontinha e soube que era você! Agora penso que é pecado ter te trazido do céu. Sou sua e o mundo é nosso, só nosso a cada dia que restar.

Te amo sempre!

Penélope Aldaya.
.
.

BREVE SAUDADE!

Minha Penélope,

como pode caber tanto amor num só coração?
como pode existir tanta ternura em um simples toque de lábios?
como pode transmitir tanta doçura em um simples olhar?

assim sendo...

como posso ser merecedor de tudo isto?
pois, mesmo que não existisse amor, agarraria-me à ternura.
se esta também não existisse eu seria capaz de viver dos fragmentos do seu olhar.
precisaria de uma única chance para roubar-lhe um sorriso e fazer dele o meu motivo de felicidade eterna...

Julián Carax
.
.
.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

DE ARTISTAS E LOUCOS

E lá se foi mais um Festival da loucura em Barbacena – MG!
Eu estava lá com o cinema na praça, integrando-me aos loucos, curtindo um festival feito para o povo!
Ali no meio da praça, entre árvores e uma fonte seca, misturaram-se loucos, mendigos, bêbados, cachorros, curiosos e simpatizantes à causa.
Realmente nada era tão normal assim! Num local onde os parâmetros de normalidade são questionados a todo tempo, descobrimos que podemos fazer o que quisermos sem nos preocuparmos com julgamentos alheios ou olhares de repreensão!
A começar pelo ajudante da equipe técnica. Qual foi minha surpresa em conhecer a franzina Grace, ressaltando a ironia em torno da função, nome e gênero. Após explicar com uma dose de terrorismo o que deveria ser feito, ela continuou a me olhar animada e aceitou o trabalho junto com os outros dois rapazes.
A magia do cinema ia encantando a todos que enchiam-se de orgulho por estar trabalhando em um evento diferente e hipnotizante.
As tardes chegavam frias sob o fundo musical de sertanejo tocado em flauta dos índios peruanos, enquanto os loucos curiosos perguntavam o q haveria ali.

- Oh moço! O que vai ter aqui hoje?
- É cinema!
- Ah é? E paga?
-Não!
- Então tem que ir lá chamar Adriana para trazer as crianças. Ela desceu aqui agora! Corre lá, moço! Corre! Chama Adriana! Ela tem que trazer as crianças!

Corri, dei a volta na tela inflada e voltei.
- Pronto! Encontrei com ela logo ali. Ela disse que vai trazer as crianças.
- olha que coisa boa! As crianças vão gostar. Obrigada, moço.
- De nada!

Entre um cão e uma criança, a cidade ia passando por ali com o seu ar de cidade do interior, petulante em crescimento. a noite chegava e os pombos e pardais acomodavam-se nas grandes árvores da praça.
Eis que chega o “dono da praça” e adverte o vendedor de CD’s:

- Meu amigo, este local está comprometido com o evento que acontecerá agora à noite, por isso você terá que se retirar!
O vendedor, sem acreditar, mas também sem duvidar, consentiu.
O homem andou 10 passos, parou, deu meia volta e disse:
- E se você não sair serei obrigado a chamar as tropas de segurança para resolver este problema.

Penso que o vendedor não teve mais dúvidas, pois recolheu as suas coisas e saiu discretamente.

Foram quatro dias de exibição de cinco títulos: SE EU FOSSE VOCÊ 2, PIAF – um hino ao amor, DEU A LOUCA NA CHAPEUZINHO, VIDA DE MENINA, SANEAMENTO BÁSICO.
As noites frias traziam os amantes do cinema para matarem um pouco da saudade e comerem pipoca de graça!
Notei que todos os filmes agradaram, mas a vida da cantora Edith Piaf foi um show à parte. Era um “novelão” bem montado que trazia todos os ingredientes para prender o público: drama, tragédia, sofrimento e vitória! Em quatro anos de exibições vi pela primeira vez um filme legendado segurar um público razoável no meio da rua e ainda ser aplaudido no final!
Particularmente, fiquei com os olhos colados na tela, quando pensava que tal evento não mais me iludia.
É só o meu trabalho, mas naquela noite, Piaf me seduziu com sua perseverança, arrogância e dedicação à música!
Após muito tempo, num evento que comemora o fim da segregação, percebi realmente que “de perto ninguém é normal” e todos somos um pouco artistas, poetas, sérios e loucos...
.
.
.

QUANTO VALE A SUA FOTO?

Semana passada na loja Retes com uma foto antiga em punho:

- vocês restauram fotografias?
- se nós restauramos fotografias?
- eh! vocês restauram?
- a foto está com você?
- sim!
- posso ver?
- aqui está.

TROMBETAS, BUMBOS, GONGOS! ABREM-SE AS CORTINAS E...


-só um minutinho, por favor!

Pegou a fotografia, virou as costas e perguntou para uma moça que estava travando uma batalha com a CPU de um pc a procura de uma entradinha USB. Diga-se de passagem, entrada USB é o que mais é usado em lojas de revelação, porém, é o que mais falta nos PC's destas lojas.

- Carla! é 60?
Sessenta o quê, meu Deus? Pensei comigo!

Logo veio um berro:
- o que você acha, Felipe? Olha o estado dessa foto!

Ah sim! Fotos de Estados diferentes têm códigos diferentes e lógico, valores diferentes. Esse povo é mesmo inteligente! Inventam várias coisas para agilizar o atendimento, pensei novamente.

-é 120, Carla?
Cento e vinte o quê, gente? Agora acho que falei em voz alta!

Em seguida um relincho:
- presta atenção menino! é claro que é 120!

Volta o rapaz em minha direção e diz:
-de acordo com minha gerente, é 120!
-e sua gerente é esta mal educada aqui no chão? obrigado!

Peguei minha foto e saí da loja com três dúvidas:
1 - não me disseram se eles restauram fotografias. simplesmente me responderam com outras perguntas.
2 - 60, 120... são o que mesmo???????????????????????
3- a culpa é realmente da crise????
.
.
.

AMO MUITO TUDO ISSO!

Estou gostando da idéia de avaliar o atendimento dos estabelecimentos cujos serviços eu utilizo: Hotéis, lanchonetes, restaurantes, bares, etc...
Vai acontecer naturalmente! Caso eles me surpreendam ou me decepcionem, aqui estarão os meus comentários!

HABIBS X MCDONALD'S

Eu daria umbraço por um copo de coca-cola muito gelada! Joanna daria outro braço por um descongestionante nasal!
Fomos os dois saciar nossos desejos sem precisar perder nenhum membro, pois os dois produtos não eram tão difíceis. Saímos da farmácia e entramos no Habibs:

- Moça! Por favor ,, uma coca-cola!
-300, 500, 1,5l , 2l?????????????????????????
-500!
- Pra levar?
- Sim

Logo veio a frase mortal:
-só um minutinho, por favor!

Eu queria realmente saber o que realmente significa esse "só um minutinho"acompanhado por um "por favor"!!!!!!!!!!
Estou comprando um produto e ainda vou fazer o favor de aguardar só um minutinho?? É isso?
Mas certamente esse "só um minutinho"é uma variaçao de tempo indeterminado, pois após 5 minutos o meu refrigerante não tinha chegado!
Barulhinho de relógio, por favorr!!!!
Ah! Finalmente! Aos 7 minutos surge uma garrafinha de 300 ml pra mim!
Ôpa! Eu pedi 500! E foi num copo!
Ah eh! Melhor avisar pra ela neh?

- Moça! Eu pedi de 500 ml! E foi um copo!
- Ah! Foi mesmo! Mas a tampinha do nosso copo acabou! Vou trocar o refrigerante pra você!

Pronto! Perdi a sede! E perdi a oportunidade única de tomar uma coca-cola quente numa garrafinha de suco de laranja, toda melada de refrigerante! Agradeço!
Barulho de relógio novamente!
Pára tudo!

- Moça! Não quero mais! Cancela pra mim!
- Leva um de 2l, moço!
-Mas eu só quero 500 ml!
-A diferença é pouca!
- Se vocês demoraram 10 minutos para me trazer 500ml, imagina quanto tempo levariam para me trazer 2l! Me dá meu dinheiro de volta!

Saí de lá e fiz o que deveria ter feito há muito tempo: Entrei no MCdonald`s.

-Moça! uma coca 500ml!
-Tradicional, Zero ou Light?
-Tradicional!
-Ok! Aqui está sua coca, senhor!

Ops! Peraê!
Não deu tempo nem para o barulhinho de relógio! E no mísero intervalo de tempo entre receber o dinheiro e pegar o meu refrigerante, a mocinha ainda me ofereceu o Cheeseburger!
2 minutos entre sair do carro, comprar e voltar para o carro!
Bravo!
Uma medalha de ouro para os arcos dourados!
.
.
.

terça-feira, 14 de julho de 2009

SOLIDÃO

Minha Penélope!

hj acordei e nem levantei
fiquei deitado quietinho, sentindo frio...
tendo uma amostra grátis de como é ficar mt tempo sem você.
o sol intrometido passava pela fresta da cortina.
ignorei-o, dei as costas, virei pro canto e queria só vc, só te ver, só te sentir
te amo tanto, meu amor


julian carax
.
.
.

terça-feira, 23 de junho de 2009

FRASES DE FILMES QUE EU DECOREI

"Me chamam de Chapeuzinho Vermelho porque uso uma capa com um capus vermelho!
- E quando você não está usando?
- Eu sempre uso!"
Deu a Louca na Chapeuzinho (Cory Edwards )


"pronto! passo a semana todinha estudando no Recife, chega aqui virar empregado!"
Baixio das Bestas ( Claudio de Assis)

"quando vc dá tiro na gente, a gente não morre, boca?
quando vc faz graça, a gente não ri?
então, se é pra ser igual, vamos ser igual em tudo, porra!"
Ó Paí Ó (Monique Gardenberg )

"ninguém tá vendo!
eh! mas Deus tá vendo. E um dia me pega!
Vermelho Rubro do Céu da Boca - (Sofia Federico)

"Oh! Um monstro horrível me atacou!
Ele mah-chucou vocêê?"
Saneamento Básico - O Filme (Jorge Furtado)

"Equipe delta, pegue aquele inspetor sanitário! Vão! Vão! Vão!"
Ratattuille (Brad Bird)

"Ô moço, dondé que fica o buraco do metrô, pelo amor de Deus?"
Tapete Vermelho (Luiz Alberto Pereira)

"É verdade, filha? Bia, Bia... O meu bebê vai ter um bebê!"
Se Eu Fosse Você 2 (Daniel Filho)

"É bem o seu tipo, mesmo: Quando você encontra o que queria, vira as costas e vai embora!"
Se Nada Mais der Certo (José Eduardo Belmonte)
.
.
.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

EU!


Já me disseram um dia que eu sou "extremista"!

"Mal humorado" e "chato" ouço todos os dias!

"Intolerante" talvez seja melhor!

"Insuportável" ouvi com tanta veemência que até cheguei a acreditar!
Mas quem já viu o meu perfil no orkut sabe que sou um pouco de cada definição dessa aí. E quem realmente me conhece sabe conviver perfeitamente comigo:


"produtor de cinema ao ar livre - piloto de caça, maquinista de maria fumaça - cavaleiro - viajante...

apaixonado!
artista!
brincalhão!
debochado!
difícil!
distante!
enigmático!
fascinante!
herói!
insuportável!
inesquecível!
imprescindível!
irresistivel!
poeta!
próximo!
pegajoso!
sério!

assim... meio artista, tipo pop star, sempre de óculos escuros e um ar arrogante. faço meu estilo! Às vezes não respondo os scraps; outras vezes deixo depoimentos! chato! extremamente chato! mal humorado! mova o mundo para ter moral comigo... mova uma palha para perdê-la! sou sumido, largado, desnaturado! muitas vezes eu apareço do nada... e desapareço tb! no final, ainda sou suportável!
viajante! viajo pra acalmar meu coração aventureiro!)

sou cidadão do mundo e ele é o meu quintal! sigo os caminhos que me aparecem. abro outros ainda inexistentes. vivo com uma mochila nas costas e uma viagem na cabeça! sem terra fixa, fico assim a vagar... com um pouso aqui, outro acolá! que nem pássaro sem rumo. ora num trilho, ora num rio... levo o cinema e ganho sorrisos... mas quando sinto saudade, bem sei pra onde volto...
aproxime-se para descobrir,mantenha distância para não se apaixonar! aventure-se!"

e pronto!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

COISAS DE ESTRADA!


Apaixonado pela comunicação popular, em minhas viagens sempre fico atento às emissoras de rádio do interior e suas particularidades.

Os jingles são sofríveis e quase insuportáveis!
Cada região com sua peculiaridade e seus programas beirando o tosco.
De locutores que não sabem ler a ouvintes que telefonam para falar nada, já ouvi muita coisa interessante.
Foi num fim de tarde vermelho fogo no Maranhão de estrada de terra, em meio à poeira e o cheiro de mato que meu rádio tocou a mesma música três vezes consecutivas. Talvez por ausência do locutor ou homenagem a alguém!
Em minha normal melancolia de caixeiro viajante da cultura, diminui a velocidade do carro e deixei-a compatível ao ritmo da música para sentir melhor a saudade com gosto de poeira.

A letra:

COMPLETO
Ivete Sangalo

É tão bom ter alguém por perto
Pra você se sentir completo
Ter a mão que te leva pro futuro
Vislumbrando horizontes seguros...

É tão bom viajarmos juntos
E viver aproveitando tudo
Amanhã vai ser melhor que hoje
Novos sonhos ao amanhecer...

Imagino milhões de sorrisos
Cada um com seu jeito de ser
Mas ligados ao mesmo destino
Um amor feito eu e você...

O céuu e o mar
A lua e a estrela
O branco e o preto
Tudo se completa de algum jeito

Homem e mulher
A faca e o queijo
O inseto e o perfeito
Tudo se completa de algum jeito

***************************************

Caso queira o MP3, só me pedir!

JÁ FEZ SEU CARTÃO ?


Alguns meses após cortar todas as minhas relações com a C&A ( cuja sigla deveria ser C$A), ressaltando o nível da repulsa eu não conseguia nem passar pela galeria do centro.
Cancelei cartões e decretei um boicote!
Calma! Ainda não usei boina e colete, nem estou de posse de uma bandeira, fechando trânsito e falando em um caminhão de som!
Não é para tanto, mas resolvi não comprar mais na tal loja!
Cliente, cachorro, barata e manequim estão no mesmo escalão para todas essa indústria de consumo. Só existimos a partir do momento em digitamos a senha do cartão. Da porta pra fora, seu produto não vale mais nada e você volta a ser ninguém!
Enfim, decidi cortar caminho pela galeria a fim de ganhar tempo.
Eis que um promotor muito educado me aborda:

- Já possui um cartão C&A, senhor?

Senhor? Onde?
Eu sou alguem?
Vinte e cinco centavos de Real na carteira! No entanto, ele não sabia disso!

- Não! Não tenho! Respondi educadamente.
-Vamos fazer o cartão, senhor?
Novamente o "senhor"! Será possível?

- Não! Obrigado!
- Vamos lá, senhor! É rapidinho!

Agora foi o cúmulo! "senhor" pela terceira vez e ainda disse que era "rapidinho"fazer um cartão!
Ou eles já têm uma tecnologia nova de fazer cartões instantâneos, ou ele realmente estava mentindo! Que porcaria de pernonalização/personificação é essa? Esse tal de atendimento de qualidade! Chega a ser cômico! Eu sou um ex-cliente insatisfeito que cancelou todas as relações com a loja.
Taí a prova mais concreta de que somos tratados como vaquinhas (no sentido bíblico da palavra!) iguais!
O meu amigo ítimo (é assim que eles se parecem) nem sabia que eu já sabia que esse "rapidinho"consiste em te deixar plantado pelo menos uns 40 minutos numa sala cheia de gente com cara de velório (lógico! pois estão ali pra se lascar numa dívida infinita). A cara de velório é pela morte da sua paz, paciência e sossego financeiro, enquanto outros funcionários adestrados para serem legais desaparecem com os seus documentos por uma portinha que vai dar sabe-se onde!
Desconfio que são todos zumbis!
Ninguem olha no seu olho, não falam do clima, futebol, política, nada!
Claro! Eles vivem nos subterrâneos!
No final do atendimento, toda aquela simpatia é quebrada, antes mesmo de insinuarmos levantar da cadeira, por um estridente "Próóóximooo! "

Recapitulando o encontro com meu amigo da porta da loja:
-Vamos lá, senhor! É rapidinho!
- Não! Estou com pressa!
- Não vai demorar!
- Ah sim! Nesse caso, vai seguindo que já chego lá!

Sinto ter que decepcionar meu grande amigo. Mas, amigo que é amigo entende!
Qualquer dia passo lá novamente para apostar os meus vinte e cinco centavos no palpique que ele vai me oferecer o mesmo cartão como se nunca tivesse me visto antes!
.
.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

TENHO SAUDADES!


Tenho saudades do seu cabelo grande
Apesar de ter pedido pra cortar!

Tenho saudades dos beijos no olho,
Mesmo sendo beijado todos os dias!

Tenho saudades do seu cheiro,
Mesmo o possuindo em meu travesseiro!

Tenho saudades dos seus sussurros,
Logo que eles terminam!

Tenho saudades do seu sorriso,
Assim que ele se desfaz por um segundo!

Tenho saudades da sua voz,
Queria ver vc cantando novamente!

Tenho saudades do seu olhar,
Cada vez que voce dorme!

Tenho saudades demais!
Tenho saudades!




julián carax


.
.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

POLÍTICA E FUTEBOL DEVERIAM SER CASO DE POLÍCIA!



Ontem fui parado numa blitz rotineira. O policial pediu os documentos para conferência. Percebendo que estava tudo certo questionou-me sobre a minha camisa, alegando que eu estava fazendo apologia ao PCC.
Pensei que fosse uma brincadeira para descontrair, mas percebi que o policial falava sério e em tom agressivo. Dei uma risada sem graça e perguntei novamente o que ele havia dito, pois na acreditava no que ouvi. Ele já impaciente disse:
- Eu posso considerar que você está fazendo apologia ao PCC com essa camisa!


Sem ainda acreditar continuei rindo e solicitei permissão para fazer algumas perguntas:
- Qual a sua idade?
- 27 anos!
Respondeu ele.
- Na Academia você estudou Geografia, História e Política! Pelo menos eu suponho! E se você estudou deve se lembrar que isso aqui na minha camisa não é nenhuma apologia ao grupo criminoso intitulado Primeiro Comando da Capital. A ordem das letras cuja sigla você cita não está correta.
- Ok! Mas eu poderia considerar isso como desacato à autoridade e te levar para o quartel para responder algumas perguntas.
- Seu guarda, seria realmente interessante deslocarmos até um quartel de polícia para você descobrir diante do seu superior que estas siglas na minha camisa referem-se à ex União Soviética. Esta é uma réplica do uniforme do goleiro da seleção Soviética.
- Tudo bem! O Sr. está liberado!


ASSUNTOS SOBRE OS QUAIS TRATARÍAMOS NO QUARTEL:


URSS

Cujo nome completo era União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (em russo, CCCP: Союз Советских Социалистических Республик; Soyuz Sovetskih Sotsialistitcheskih Respublik) foi um país de proporções continentais, cobrindo praticamente 1/6 das terras emersas do planeta, fundado em 30 de dezembro de 1922 pela reunião dos países que formavam o antigo Império Russo, na Europa e na Ásia.



Lev Ivanowicz Yashin

Também conhecido como Aranha Negra (na América do Sul) ou Pantera Negra (na Europa), devido ao uniforme escuro que usava, nasceu em 2 de outubro de 1929, em Moscou. Morreu em 21 de março 1990, de complicações decorrentes de uma cirurgia.
Yashin defendeu o Dínamo de Moscou por toda a sua carreira de 22 anos. Conquistou cinco campeonatos soviéticos (1954, 1955, 1957, 1959 e 1963) e três copas da URSS (1953, 1967 e 1970).Pela seleção soviética, disputou quatro Copas do Mundo: Suécia, em 1958, Chile, em 1962, Inglaterra, em 1966, e México, em 1970. A última, no entanto, ele só fez parte do elenco, uma vez que não participou de nenhum jogo. Conquistou também a medalha olímpica em Melbourne (1956) e a Eurocopa em 1960.É o único goleiro europeu da história que ostenta a Bola de Ouro, obtida em 1963, graças, em grande parte, a sua especialidade nos pênaltis. Disputou um total de 812 jogos na carreira, 326 na liga soviética pelo Dinamo e 78 pela seleção nacional.
Lev Yashin será sempre lembrado por especialistas na posição como o jogador que mais revolucionou a forma com que os goleiros jogam. No decorrer dos anos muitos goleiros tentaram copiar seu estilo mas nenhum deles igualou os feitos do Aranha Negra. Foram 270 jogos sem levar gol e 150 pênaltis defendidos. Lev Yashin é considerado como o melhor goleiro da história das Copas do Mundo. Por isso o Troféu FIFA para o melhor goleiro em um toneio da Copa do Mundo, introduzido em 1994, tem seu nome em honra às suas grandes defesas.
"Coizas do meu Brazïu!"
.
.
.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

O QUE EU OUVI EM MINHAS ANDANÇAS!

Um dia no interior do maranhão:

-O que você quer ser quando crescer?
- Eu quero trabalhar num avião!
- Pra quê você quer trabalhar num avião?
- Pra fica voando por aí!
- E pra quê você quer ficar voando por aí?
- Pra conhecer o muuundo!

* entrevista com um garoto de 6 anos de idade em Cidelândia - MA
#########################################
"eu nunca assisti o um cinema num dia da minha vida! a primeira vez foi hoje."

*depoimento de uma descendente indígena de 55 anos
#########################################

"próximo mês eu vou entregar essa casa. o aluguel está muito caro! não tenho condições de pagar R$ 30,00 por mês!"

* moradora de Presa de Porco - MA

#########################################

rs.....te vi um menino com olhos de homem..e engraçado que quando estás com a menina do laço..és homem com olhos de menino.....
***************************************************

BELO HORIZONTE - centro


A Timbiras me pareceu sombria. A Rio de Janeiro mais deserta. A Augusto de Lima já sem vida agonizava entregando seus poucos pedestres aos ônibus que desciam.
A vida desacelerava num ritmo gostoso de uma Belo Horizonte do século passado. Eu também diminuí o meu caminhar para olhar o que acontecia enquanto passava pelas ruas quase frias do centro.
Os operários instalavam grades, um casal remodelavam a vitrine de uma grande loja de departamentos, um gato averiguava desconfiado alguns sacos de lixo na porta de um velho hotel.
A majestosa Afonso Pena surgiu em minha frente e sorriu-me uma brisa gelada. O viaduto de Santa Teresa flutuava sobre mim enquanto eu caminhava pelas ruas iluminadas por lâmpadas amarelas, sem pensar em muita coisa importante, sendo levado pela sensação acolhedora exalada pela velha cidade.
A metrópole preparava-se para receber os usuais habitantes da cidade noite.
O amanhecer chegaria frio com seus longos cabelos dourados entrelaçados preguiçosamente aos prédios da cidade dia pronta para receber os seus filhos apressados, estressados e suas sirenes impacientes de todos os dias iguais!

O QUE TOCAVA EM MEU MP3:

BOY SETS FIRE – Rookie; Cavity; The Fine Art of Falling

terça-feira, 2 de junho de 2009

PARE DE COMER OVO!



Passando pelo interior de Minas em um dos projetos de exibição de cinema, encontramos o Sr. Prefeito em sua fazendinha, ordenhando as vacas antes de começar o seu ofício político.

Em tom irônico, disse a Rodrigo:
"Meu caro, você que é um rapaz da cidade e viu somente leite em saquinho, caixinha ou mesmo em pó, aqui está a oportunidade de saber de onde vem o leite. Do peito de uma vaca!"

Ele logo retrucou com nojo:
"Creeeeeeeedoo! É daí que sai o leite? Que coisa nojenta! Nunca mais bebo leite em minha vida!"

Finalizando a nossa curta aula de agropecuária, eu encerrei o assunto dizendo:
"Meu amigo, melhor então você parar de comer ovo!"
.
.
.

CUIDADO COM O QUE DESEJA!


Logo após o humilhante placar de Atlético 0 X 5 Cruzeiro no Mineirão ainda tive que engolir o noticiário no dia seguinte. Toda festa azul no centro da cidade e receber piadinhas pela internet.

O repórter dizia: "agora o Cruzeiro se prepara para ir ao Chile..."

Sem pestanejar eu praguejei revoltado: "seria bom se o avião caísse com essa bicharada toda dentro, pra eles saberem o que é bom, %$#!!#!"

Desabafo feito, voltei ao trabalho e preparei-me para viajar no dia seguinte. meu vôo foi as 6 da manhã. Saiu sem atraso levando também todo o time do Cruzeiro para São Paulo!

Daí pensei: desejei com tanto fervor que agora posso até ter a oportunidade de presenciar o meu desejo se realizando!

Ainda bem que não foi dessa vez!

E da próxima vez eu desejo algo mais específico... com cuidado!



segunda-feira, 1 de junho de 2009

AMNÉSIA DE AMOR!

Julián sofria com a solidão em Paris.
Penélope era presença constante em sua mente!
A saudade o incomodava e trazia as lembranças de uma Barcelona fria, porém aquecida pela bela presença da amada.
O velho rádio tocou uma canção e o transportou para os braços de Penélope:

Antes, eu não pensava em você
Agora, tudo é uma lembrança sua
Nunca me preocupei com você
Hoje, já não faço outra coisa

Não saio mais pra passear
Só quero ir aonde você está
O livro não é bom
Não quero ouvir um som
Não acho nada na TV

Não me lembro como eu era antes de você
Não me lembro como eu era antes de você

Não penso em sair pra passear
Só quero ir aonde você está
Com amigos não falo
Não volto ao trabalho
Como pude me esquecer?

Não me lembro como eu era antes de você
Não me lembro como eu era antes de você

Não tenho fome
Não quero beber
Quando passa a noite
Quero passar também

Não me lembro como eu era antes de você
Não me lembro como eu era antes de você
Não me lembro como eu era antes de você

A noite já chegava com o nevoeiro. Julián deitou para aguardar o sono e esperava sonhar novamente... e sonhou!
.
.
.

sábado, 9 de maio de 2009

UM BILHETE


O trem cortava as montanhas geladas e nevoentas. Em seu camarote solitário, Julián olhava pela janela buscando uma lembrança perdida e uma imagem na vegetação que passava rapidamente. The Killers tocava "Losing Touch" no rádio de algum passageiro próximo. Julián Colocou a mão no bolso do seu casaco e percebeu a presença de um papel. Era um bilhete cuja data ausentava-se, mas a letra era facilmente reconhecida! Ele sorriu sozinho, acariciou o papel aberto. Tinha medo de ler, para que não chegasse ao final, no entanto, seria mais uma forte presença da Penélope ao seu lado. Apreciou, então cada letra, cada palavra como se fossem respiros em um dia de ar puro:

Amor,

Sem você a luz do amanhecer fere meu sono, corta meus olhos e me desperta para mais um dia em tons pasteis.
Mas se acordo e vejo seus olhos ainda fechados, se sinto sua respiração quase tão forte quanto sua presença. Presença que apesar de absorta em um mundo de sonhos seus, se torna protetora no instante de sonhos meus! Daí então, essa luz vira banho intenso sobre aqueles corpos preguiçosos e faz vibrar as cores do meu dia quando seus olhos se abrem diante de minhas pupilas já acesas e trazem sem palavra as promessas de amor que minh’alma precisava ouvir.

As horas sorrateiras vêm roubar de mim o entrelaçar derradeiro dos nossos desejos, enquanto o dia te chama, o mundo te ganha e eu te desejo só pra mim... bem cruel... bem egoísta...

Quero as cores do mundo e a luz da manhã que só chega em meu dia quando meu dia é seu. E no tempo inimigo volto pro ninho sozinha e aguardo de novo a manhã me ferir, até que um dia você aparece, assim, bem como se esvaiu, trazendo um sorriso largo e todas as cores do dia. E de tanto ver o seu abraço e sentir o seu sorriso de olho apertado, minha encardida alma ilumina-se de felicidade...

Julián apertou o bilhete em seu peito e durante a viagem releu sorrindo as palavras outras dez vezes, sempre quando a saudade apertava o peito. Sabia que Barcelona não estava perto, possuindo sua Penélope diariamente em seus dias de inverno, porém sabia que logo retornaria num futuro incerto, mas retornaria!

TRILHA:
The Killers - Losing Touch
The Killers - Human




segunda-feira, 27 de abril de 2009

FELICIDADE REALISTA

foto: andré fossati

Recebi o texto de um amigo, o Pit, parei alguns minutos para refletir e achei pertinente trazê-lo ao meu blog!

Sejam felizes!!!!

A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro , feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar É importante pensar-se ao extremo, buscar lá d entro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

Mário Quintana





quarta-feira, 22 de abril de 2009

PARA JULIÁN


Amado Julián!


invado sua longa noite para dizer que te amo
rasgo seu sono para ver se irrompo em seus sonhos
quero seu genio gentil, seu jeito sutil, seu lábio macio
quero que o mundo aconteça para nós
ia chorar meu coração vazio
procurar sem encontrar
ou se iludir ou se enganar
mas, que destino sabido, encontrou você comigo...


Penelope Aldaya

terça-feira, 14 de abril de 2009

O HOMEM E A ROÇA DE MILHO!

“Para Rangel, um livro de crônicas de um mineiro simples e sensacional, assim como você!”
Do seu amigo,
Matheus Loureiro
19/12/2008

A preciosidade de um presente é particular!
O livro cuja dedicatória afaga-me o ego foi um presente de um amigo.
A cada crônica eu conhecia um pouco mais o Dr. Franklin de Salles e sentia-me lisonjeado pela comparação feita por seu bisneto: um mineiro simples e sensacional!”
Um dia hei de ser algo parecido que consiga alcançar os calcanhares do Sr de Salles que cultivou amigos ilustres e emocionou grandes homens.
Algo semelhante, contudo, notei entre nós: alguns simples detalhes da vida não passam despercebidos e tornam-se grandiosos aos olhos deste homem também simples. O amor à natureza, o apego à vida pacata do campo, a apreciação pelas letras e o bom humor para escrever ilustram as crônicas do amigo de Drumond e encantado pela roça de milho no meio da cidade.
O pai da avó do meu amigo não deixa esconder a mineirice e a mineiridade que brincam em suas palavras ora rebuscadas, ora desleixadas de propósito, querendo desvendar o homem mineiro simples e sensacional, assim como eu!
Caro Matheus, obrigado por elevar-me ao mesmo patamar de um ilustre!
LIVRO:
“O Homem e a Roça de Miho” – Franklin de Salles
Anome Livros - 244 p.

Penelope Aldaya


tão perto e tão distante
tenho que contentar-me com as poucas horas
que mais se parecem segundos
junto de ti o tempo voa
e eu sofro a cada pequena despedida
te amo

quinta-feira, 9 de abril de 2009

CALL CHICLE CENTER

- Oh!, Jhony, anota meu novo e-mail ae!
- Você mudou de e-mail outra vez, Jhony?
- Mudei. Queria algo mais fácil para as pessoas lembrarem, mas pelo menos hoje não deu muito certo.

Comprei um Clorets de caixinha. Quando abri só tinha um chiclete. O outro ficou na fábrica. Aí pensei: quantas pessoas no mundo tem essa sorte, ou azar?
Contudo, sempre guardo o segundo chiclete na mochila e ele desaparece lá no fundo e fica por lá durante dias. Agora não sei se esse seria o que eu iria mascar ou o que eu iria guardar!
Peguei a caixinha, olhei as letras miúdas e encontrei o telefone do SAC. Fui reclamar!
Uma moça me atendeu educadamente e me pediu para que descrevesse o fato que antecedeu a abertura da caixinha. Assim feito, após inúmeras informações ela desligou na minha cara depois da última pergunta:

- Qual o seu e-mail para contato, senhor?"
- Ah sim! É fácil! Anota aí: antoniofagundes@...


Tuuuu tuuuu tuuuu tuuuu tuuuu tuuuu tuuuu

Tem horas que é melhor complicar!

quarta-feira, 8 de abril de 2009

SERÁ CULPA DO CROSS FOX?


Enquanto a dona da loja mais chique do país se debate entre as grades da cadeia, um novo fenômeno brega, lindo, absoluto, acaba de chegar em seu Cross Fox!
Stefhany não é o resultado de uma imposição da mídia massificante. É exatamente o contrário! O resultado de uma massificação imposta à mídia, já seduzindo o Gugu e batendo às portas do Faustão, sem jabá...
Todos querem Stefhany, pelo seu jeito simples de fazer sucesso e nem mesmo ainda saber o que está acontecendo.
Sem gravadora, sem produtora, sem nada... Se não é oficial. Não sofre com pirataria! Produção de mídia sob encomenda. Será que estamos no início de uma nova era da distribuição musical no mundo? O que está acontecendo com os meios populares de comunicação? A internet atualmente é o meio mais popular indiscutivelmente! As lan houses do Norte e Nordeste estão lotadas! Grande parte dos internautas acessam o youtube para ver a “Barbie” brasileira em seus vídeos caseiros cujos clichês são inspirações para milhares de jovens!
Versões de grandes sucessos com letras interessantes e rimas fáceis ensinam o que é acessibilidade para os que se dizem mais cultos. Não faço apologia a nada! Somente discuto a facilidade de produção. Qualidade e bom gosto não entram neste quesito. Stefhany dá ao povo o que ele realmente quer: Diversão! E não vejo nenhum mal nisso! Ela fala de amor, de sonhos e de diversão! Em seu hit mais famoso (Eu Sou Stefhany) ela dá um passeio em seu carro dos sonhos!
O mundo é injusto! Somos obrigados a pagar caro por um carro, por uma peça de roupa, mas não podemos falar os nomes das marcas!
Assim como há muito tempo o Rei Roberto Carlos já entrou no seu Calhambeque, os Mamonas viajaram o país na Brasília amarela, a Angélica só andou de taxi, Stefhany dá sim várias voltas no seu Cross Fox, canta isso e mostra pra todo mundo que ela tem um carro bonito! E – desculpando o meu francês – fôda-se a Volkswagen! A melhor publicidade do ano! Se eu pago caro por algum produto, logicamente, ele me pertence. Dessa forma posso fazer o que quiser com ele. imaginem só se numa mesa de bar com os amigos: "Comprei um carro novo! Mas não posso falar a marca nem o modelo. Isso é publicidade sem autorização. O fabricante pode me processar! Por isso também tive que colocar essa tarja preta na marca da minha camiseta!"
Ridículo!
Sem nunca ter assistido "Triller" ela chama as amigas e faz o seu clip no meio da rua! Danças descoordenadas e edições medíocres mostram que os milhões de dólares gastos em megaproduções de clipes não são tão necessários quando o seu público não é tão exigente!
Em suas outras músicas ela segue falando sempre amor, na maioria das letras de melodias dançantes e recusa a ser comparada a qualquer outro grupo. Não se inspira em Banda Calypso nem em cantoras de Axé. Apenas faz o que acha que deve fazer!
Os vídeos caseiros do youtube ousam mostrar um cotidiano de qualquer jovem brasileiro com fortes doses de breguices bem feitas e sem maldade!
Aqui está o perfeito exemplo da expressão “se melhorar, estraga!”
Stefhany mostra pra esse “povinho” o que é uma comunicação de massa e de “povão” sem vulgaridade! É brega! É muito brega! Quem não gostar do estilo, nem passe perto. Mas se você não tiver preconceitos, delicie-se!
Veja quem quiser ver, goste quem quiser gostar!
Absolutamente original!
Sim! Ela também toca em meu MP3! Eu já havia dito que o meu tocador de músicas é um baú de loucuras e experiências variadas! E na verdade, dizer que é comunicólogo apreciador dos meios mais populares de comunicação é uma forma sofisticada de dizer "eu gosto de brega"!
Putzs! Eu nem tenho um Cross Fox! Nem Fusca, nem nada!


Onde assitir:
Stefhany - Cross Fox

O que escutar:

Stefhany - O que passou passou
Stefhany - Diga o quer de mim
Stefhany - Madrugada
Stefhany - Cross Fox